3
Mai
Há uma nova galáxia no universo Samsung
por CVF Samsung , Galaxy S III , S Voice , AllShare , NFC , Android 4
Se no mercado a Samsung já bateu claramente a Apple e a Nokia, em termos de imagem a companhia sul-coreana ainda tem algum caminho a percorrer. Apesar da aceitação que os seus terminais Android têm alcançado, e já representam mais de 40% das suas vendas, faltava à Samsung um modelo que apelasse à imaginação dos consumidores tal como acontece, por exemplo, com cada novo iPhone.

O Galaxy S III pode ter sido o primeiro dispositivo da Samsung a alcançar um popularidade notável ainda antes de ter sido oficialmente apresentado. Pela primeira vez um modelo da marca coreana deu azo a diversos tipos de rumores e antecipações, uma boa parte delas contraditórias, criando um clima de expectativa similar ao vivido nos dias que antecedem a apresentação de um novo modelo da Apple.



Pode-se dizer que o modelo apresentado corresponde às expectativas geradas já que o Galaxy S III supera ou igual praticamente tudo o que existe actualmente no mercado. O processador é um Samsung Exynos quad-core a 1.4 Ghz, o ecrã Super AMOLED HD tem 4.8 polegadas e uma resolução de 720x1280 pixels, há 1 GByte de memória RAM e 13, 32 ou 64 GBytes de memória de armazenamento (depende da versão escolhida), uma câmara fotográfica de 8 Mpixels, conectividade HSPA+ (até 21 Mbps), receptor GPS (compatível com as normas GPS e Glonass), Bluetooth 4.0, WiFi, MHL, DLNA e NFC.
Externamente o novo Galaxy rompe com a imagem ‘parecido com o iPhone’ e caracteriza-se pela sua elegância conferida por uma espessura referencial, pelo ecrã enorme e por acabamentos de boa qualidade. Somente os materiais escolhidos deixam algo a desejar neste modelo. O terminal pode ter um aspecto sofisticado e elegante mas os plásticos usados irão acabar por comprometer a sua aparência a médio prazo.

A Samsung também estender o cuidado colocado na concepção deste modelo ao seu interior. Mais concretamente ao software e funcionalidades adicionadas ao Android 4.0. Para além da habitual interface alternativas TouchWiz, a Samsung aperfeiçoou várias componentes e módulos.
O ecrã de desbloqueio (lock screen) é bastante diferente do que existe actualmente apesar de manter o mesmo tipo de funcionalidade. Para se desbloquear o terminal é necessário agitar a superfície de um lençoç de água apresentado no ecrã.
Na câmara fotográfica foi eliminado quase por completo o intervalo que ocorre entre a pressão do botão e a tomada da foto efectivamente (zero lag). A aplicação de câmara pode efectuar 20 fotos sequenciais e escolher automaticamente a melhor de todas.



Com este terminal é possível fazer duas coisas ao mesmo tempo. Algumas aplicações estão preparadas para a tecnologia Pop up display que permite reduzi-las a uma pequena janela flutuante que fica por cima das outras. O utilizador consegue então escrever uma mensagem enquanto vai continuando a ver um vídeo, por exemplo.

Para concorrer com o Siri da Apple, a Samsung integrou também um assistente virtual que responde a comandos de voz. O S Voice reconhece oito idiomas naturais e é activado com um comando vocal definido pelo utilizador (o nativo é ‘Olá Samsung Galaxy). Não é preciso premir qualquer botão ou lançar uma aplicação específica para usar esta funcionalidade. Basta falar com o telefone.
Após receber uma mensagem de texto se aproximar o terminal de um dos ouvidos o Galaxy S III efectua uma chamada automática para quem lha enviou (Direct Call). O novo sistemas de alertas e notificações (Smart Alert) é bem mais eficaz que o nativo do Android e assegura que nada fica esquecido.

As tecnologias Social tag e Buddy Photo Share permitem o reconhecimento automática de faces nas fotos, consegue determinar a quem pretende e permite ainda a sua publicação, com identificação, nas redes sociais ou até enviar mensagens ou efectuar chamadas directamente para um das pessoas fotografadas.
O novo Galaxy S III pode servir também como hotspot WiFi para outros quatro dispositivos, servindo de ponte entre as redes WiFi e 3,5G.
A tecnologia NFC também está presente e é aproveitada de uma forma mais ‘inteligente’ que na concorrência. Por exemplo, é possível usá-la em conjunto com a tecnologia WiFi Direct ou Bluetooth para transferir conteúdos entre terminais. O módulo NFC serve de identificador e percursor do outro tipo de comunicação e este último assume o ‘trabalho pesado’ de transferência. Tudo de uma forma automática e transparente para o utilizador.

Uma gama alargada de acessórios estará disponível por altura do lançamento e que vem complementar o dispositivo e colocá-lo num patamar muito próprio acima da concorrência. Há um carregador sem fios, os conteúdos musicais podem ser transferidos automaticamente para um leitor externo que funciona autonomamente (deixa de ser necessário levar o Galaxy quando se vai fazer jogging, por exemplo), há capas, bolsas e uma cobertura (flip cover) para o ecrã, suportes e docking bays e ainda um adaptador HDMI que permite ligá-lo a um televisor de grandes dimensões. Este último poderá não ser sequer necessários uma vez que o novo Galaxy dispõe de tecnologia All Share da Samsung que permite a partilha sem fios de conteúdos (WiFi Direct ou DLNA).



O lançamento na Europa está agendado para o dia 29 de Maio, com o novo Galaxy S III a estar disponível em branco e azul e em três variantes: 16, 32 e 64 Gbytes de memória interna.
Fontes ligadas à indústria dos componentes garantem que a Samsung já dispõe de encomendas na ordem das 10 milhões de unidades provenientes das operadoras móveis, o que vai certamente ajudar a companhia a dilatar ainda mais a margem que a separa da concorrência. Partindo dos 44.5 milhões de smartphones vendidos no primeiro trimestre a Samsung poderá chegar ao final com vendas superiores a 200 milhões, um valor histórico e que nunca foi alcançado anteriormente por nenhuma outra marca.


Esta notícia já foi consultada 14794 vezes
 
 
Publicidade