12
Set
Apple apresenta o novo iPhone 5
por Pedro Ivo Faria iPhone 5 , Apple , iOS 6
Chega Setembro, os miúdos regressam à escola, as folhas começam a cair e a Apple apresenta um novo iPhone. Desta vez calhou ser apresentado o iPhone 5, um novo iPhone que é mais fino, mais potente, tem um ecrã maior e já suporta redes 4G.



Mais uma vez o wow factor esteve ausente da apresentação da Apple, que voltou a recorrer aos seu know-how para disfarçar o facto de o novo iPhone pouco ou nada trazer de novo ao mercado.
É certo que se trata do melhor iPhone de sempre, é quase certo que irá vender mais do que qualquer outro iPhone, mas isso não é suficiente para afastar a sensação de dejá-vu que se instalou à medida que a apresentação decorria.

Apresentado como ‘o mais fino smartphone do mercado (apesar de existirem pelo menos três terminais Android mais finos – Oppo Finder, ZTE Athena e Huawei Ascend P1) com a melhor câmara fotográfica da actualidade (apesar de não ser tão sofisticada como a do Nokia 920 ou do LG Optimus G) e o ecrã mais realista (mesmo não sendo suficiente para exibir um filme HD como fazem um boa dúzia de modelo Android e Windows Phone), o novo iPhone 5 representa um passo em frente significativo no universo Apple.



Os engenheiros da companhia de Cupertino conseguiram reduzir as dimensões de vários componentes, produziram um processador mais potente e menos ‘guloso’, melhoraram a câmara fotográfica que mantém o sensor de 8 MPixels, reajustaram a resolução do ecrã (que apenas cresceu verticalmente) para 640x1136 pixels, incluíram módulos LTE e WiFi 802.11n, recriaram as antenas internas, aumentaram a capacidade da bateria e trocaram o conector de 30 pinos por um mais compacto e actual. Mesmo assim ‘sabe a pouco’. Enquanto várias marcas melhoraram significativamente os seus modelos no espaço de um ano, casos do Galaxy S III da Samsung, do Lumia 920 da Nokia, do One X da HTC, do RAZR MAXX HD da Motorola ou da linha Ascend da Huawei, a Apple volta a ‘marca passo’.

A companhia afirma que o seu novo terminal vem preparado para suportar todas as redes 4G a nível global mas, na prática, muitos países ficarão de fora. Portugal e Espanha, por exemplo, apenas têm em comum com o novo iPhone a banda dos 1800 Mhz, algo que as operadoras nacionais praticamente não suportam já que o investimento tem ido para os 2600 MHz. Neste ponto jogará o peso da Apple que mercado que poderá ser suficiente para convencer a TMN, a Vodafone e a Optimus a actualizar a sua rede 4G para suportar a banda dos 1800 MHz.

O novo conector, que foi apresentado como um trunfo do novo modelo, é, na prática, irrelevante não fora o facto de ‘lançar para a reforma’ praticamente todos os acessórios que o utilizador tenha comprado para as primeiras gerações do iPhone.
Enquanto há várias marcas que apostaram nos conectores MHL, que pode ser usado como uma porta micro-USB vulgar e como uma saída micro-HDMI, a Apple preferiu apostar num formato próprio mesmo sabendo que terá que fornecer um adaptador para os modelos comercializados na Europa (que custará €19 aos clientes).

Onde o iPhone se volta a destacar, tanto o modelo novo como os que se encontram em comercialização, é no seu sistema operativo móvel que irá conhecer uma nova evolução. Anunciado já há alguns meses, o iOS 6 irá finalmente começar a chegar aos iPhones a partir do dia 19 de Setembro e inclui várias novidades.
Dos novos mapas (que em Portugal não contarão com a vista 3D ou a vista ao nível da rua), ao modo panorâmico da câmara fotográfica, o novo iOS conta com mais de 200 novidades entre melhoramentos e novas funcionalidades.

O novo iPhone 5 chega a Portugal a 28 de Setembro e deverá estar disponível na oferta subsidiada das três operadoras móveis nacionais.

Esta notícia já foi consultada 22558 vezes
 
 
Publicidade