29
Jun
Resultados financeiros da Blackberry no último trimestre abaixo das expectativas
por Pedro Ivo Faria Blackberry , Blackberry 10
Já são conhecidos os resultados financeiros da Blackberry para o primeiro trimestre de 2014 que abrange os meses de Março, Abril e Maio de 2013. Depois do anuncio da venda de cerca de 1 milhão de unidades do Blackberry Z10 nas primeiras três semanas de comercialização, esperava-se o anuncio dos resultados financeiros para se avaliar até que ponto a companhia canadiana tinha conseguido inverter a tendência registada nos últimos dois anos.



Pela primeira vez em muitos meses a Blackberry aumentou o nível de vendas em cerca de 13% mas fê-lo à custa dos modelos mais antigos e não do Blackberry 10. As 2.7 milhões de unidades vendidas do Z10 e do Q10 ficaram aquém do volume que era apontado pelo analistas (cerca de 3.5 milhões) e poderá derivar da estratégia de preços arriscada seguida pela companhia canadiana. Com os dois modelos disponíveis a situarem-se muito próximo do iPhone e do Galaxy S4 em termos de preço, a Blackberry acabou por afastar potenciais interessados e isso teve reflexos directos nas vendas.

A chegada ao mercado do Blackberry Q5, que terá um preço 40% inferior ao Q10, poderá ajudar a companhia a recuperar quota de mercado nos países mais desenvolvidos enquanto que o lançamento de pelo menos mais um modelo baseado no Blackberry 7 irá fazer o mesmo nos países em vias de desenvolvimento.
Esta estratégia mista permitiu à Blackberry vender 6.8 milhões de smartphones e aproximar-se da Nokia. Para os próximos trimestres a Blackberry planeia limitar o número de modelos em comercialização, evitando ter mais de seis novos dispositivos disponíveis.

Entre os pontos negativos há ainda a registar a perda de 88 milhões de dólares registadas no período, fruto do investimento feito na criação e lançamento da nova gama, e o anúncio que o desenvolvimento do Blackberry 10 para o Playbook foi descontinuado. O desempenho do sistema operativo adaptado às características do Playbook não era satisfatório, o investimento tem sido alto e tem impedido a Blackberry de se focar apenas na sua nova gama de produtos. As 100 mil unidades do Playbook vendidas no último trimestre fiscal reflectem também o pouco interesse que o tablet da Blackberry tem despertado nos consumidores.

Esta notícia já foi consultada 27620 vezes
 
 
Publicidade